Vibo Malbec 2007 chega vigoroso aos doze anos

Sobre o ViBO: segundo o Enólogo Grant Phelps, ViBo 2007 é uma mescla de uvas de diferentes vinhedos do Vale de Uco/Mendoza. As parreiras tem 20 anos que estão plantadas em solo arenoso, no setor de Águas Amargas, a 1.100 metros de altitude. O segundo vinhedo possui parreiras de 35 anos, oriundas do distrito mendocino de Altamira, a 1.080 metros de altitude.

As uvas foram colhidas entre 13 a 26 de abril de 2007. Depois de seis dias de maceração à frio, o mosto foi fermentado com diversas remontagens curtas e diárias com a intenção de maximizar a extração de cor e de taninos. Encerrada a fermentação alcoólica, o mosto ficou sobre suas próprias cascas por mais três semanas. Em seguida foi transferido para barricas novas de carvalho francês onde permaneceu por mais dezoito meses. Os vinhos foram misturados e engarrafados com uma filtração mínima.

ViBo Malbec Limited Edition 2007 mostra as clássicas notas do Vale de Uco, com cerejas e framboesas no nariz é uma pitada de canela. Na boca combinam-se densas notas de arándanos (planta típica da região) e de café tostado com uma estrutura de taninos que lhe conferem uma notável persistência e complexidade.Para ser bebido agora ou conservado por mais seis anos. Produção 16.502 garrafas”. 

Degustação –

VIBO MALBEC LIMITED EDITION – 2007

Origem: Argentina – região: Vale de Uco/Mendoza – safra: 2007 – álcool: 14,5% – variedade: Malbec (de dois setores do Vale de Uco: Águas Amargas e Altamira, na proporção de 50% de cada) – importador: Hannover – argentino produzido pelo chileno J. Miguel Viu Bottini, líder na produção de Malbec no Vale de Colchágua. J. Miguel Viu Manent, na sua incursão ao Vale de Uco (Mendoza), elabora um tinto que afirmamos sem medo se tratar de um dos melhores Malbec já provados por este redator. Aqui a Malbec exibe uma rara delicadeza que talvez somente o savoir-faire do produtor permita isso. Com doze anos não demonstrou o peso dos anos….um verdadeiro bombom de chocolate com cereja, suculento, aveludado. Enfim, só provando este verdadeiro néctar para ter noção do aqui afirmado. Análise organoléptica:vermelho-rubi violáceo denso e profundo, apresenta uma paleta aromática típica dos malbecs de Mendoza com as tradicionais notas florais da casta na região (violetas), geleia de frutas vermelhas, café torrado e chocolate. Boca no mesmo diapasão, taninos doces, firmes, corpo pleno, acidez média, madeira presente com espaço para a fruta (ameixas em calda e amoras). Termina longo, intenso e persistente e no retrogosto, uma notinha de chocolate. Vinho que se destaca por seu perfil moderno e boa tipicidade, cujo tempo aprimorou suas qualidades que não são poucas!  Avaliação: 92/100 pts.

 

Post da primeira vez que provamos o VIBO 07:

O elegante Vibo Malbec 2007

(Visited 19 times, 1 visits today)
Espumante Marquês de Marialva Baga Extra Brut 2015
Bem abaixo do esperado: La Massa Toscana IGT 2009

Category: Vinho degustado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *