Cálix

Vinhos Botalcura no St. Marché

O Empório Santa Maria promoveu uma happy-hour, no dia 1º de outubro de 2012, segunda-feira, no restaurante Vinoteca (Avenida Cidade Jardim, 790), para apresentação dos vinhos da vinícola chilena Botalcura. Trata-se de rótulos que estão sendo importados diretamente e exclusivamente pelo Grupo St. Marché e distribuídos em toda a sua rede de supermercados, incluindo o próprio Santa Maria. Estiveram presentes o enólogo Philippe Debrus, Matías Schongut Grollmus (Gerente Geral da Vinícola), Rodrigo Ruiz (Export Manager) e Bernardo José de Ouro Preto Santos (Supermercado St. Marché).

Como supramencionado, esteve presente o premiado enólogo Philippe Debrus, que também é sócio da Botalcura, é  chamado de Senhor Pinot Noir ou  Senhor Cabernet Franc, por ser o primeiro produtor de vinho a trabalhar com essas variedades em território chileno.

A Viña Botalcura é, desde seu início, um projeto construído graças à decisão de dois homens. Juan Fernando Waidele, empresario chileno e amante do vinho sempre se sentiu ligado aos encantos de Botalcura no vale do Maule. Philippe Debrus, enológo francês, chegou ao Chile em busca de algo novo; seu desafio não era somente trazer sua experiência na produção artesanal de vinhos, mas elaborar o próprio vinho, através de criatividade e dedicação. O encontro destes dois homens no ano 2000 selou a criação e o caráter do que hoje conhecemos como Viña Botalcura, cuja formação não somente tem o propósito de produzir os melhores vinhos do Chile, senão, aplicar toda esta mesma paixão no que está sendo feito e assim, repartir o resultado do amor pelo trabalho, por nosso povo e por nossos vinhos. Fonte: portal www.botalcura.cl

Chardonnay temperado com Viognier e Sauvignon Blanc, todos do Vale Central

Phillipe Debrus apresentou treze vinhos: sete da linha El Delirio, quatro da linha La Porfia, um da linha Cayao e um Nebbiolo.

Vinhos tops da Botalcura, os dois com preços acima dos três dígitos, será que valem tudo isso?

Botalcura “Codorniz” Sauvignon Blanc  2011 – álcool: 12,5% – região: Vale Central (parte expressiva das uvas provém do Maule) – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 29,90 – Palha bem claro quase translúcido. Aromas pouco intensos com notas de frutas cítricas (lima principalmente), arruda e notas vegetais típicas da casta no Chile. Na boca a sua entrada revela um vinho de acento mineral,  fresco (boa acidez). Corpo bom, álcool integrado, pouca fruta e final com alguma persistência, com discreto amargor vegetal. Avaliação: 86/100 pts.

Chardonnay temperado com Viognier e Sauvignon Blanc, todos do Vale Central

Botalcura “El Delirio” Chardonnay (60%) e Viognier (40%) 2011 – álcool: 13,2% – região: Vale Central (parte expressiva das uvas provém do Maule) – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 35,90 – Palha bem claro quase translúcido. Aromas pouco intensos com notas de frutas brancas (pêra principalmente) sobre um fundo defumado com leve toque de baunilha. Na boca a sua entrada revela um vinho simples, de corpo e frescor médios, álcool integrado, pouca fruta e final com alguma persistência, sem amargor. Avaliação: 85/100 pts.

.

Botalcura “Codorniz” Merlot 2011 – álcool: 13,8% – região: Vale Central (parte expressiva das uvas provém do Maule) – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 29,90 – vermelho-rubi intenso brilhante. Aromas de média intensidade com frutas vermelhas sobre um toque de ameixa. Na boca a sua entrada revela um vinho simples, fresco, de taninos macios e de bom equilíbrio gustativo,  álcool integrado, boa fruta e final com alguma persistência, macio, limpo e redondo. Vinho fácil de beber e de boa tipicidade. Avaliação: 86/100 pts.

Botalcura “Codorniz” Cabernet Sauvignon 2011 – álcool: 14% – região: Vale Central (parte expressiva das uvas provém do Maule) – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 29,90 – Vermelho-rubi intenso. Aromas típicos da casta no Chile com frutas vermelhas e uma pitada balsâmica sobre especiarias. Na boca a sua entrada revela um vinho integrado, macio, de taninos de boa qualidade, corpo bom, final persistente marcado pela fruta. Avaliação: 86/100 pts.

Botalcura “Codorniz” Carménère 2011 – álcool: 14% – região: Vale Central (parte expressiva das uvas provém do Maule) – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 29,90 – Vermelho rubi intenso brilhante com reflexo púrpura. Aromas pouco intensos com as típicas notas florais e herbáceas sobre uma pontinha de café torrado. Na boca é um vinho de taninos presentes de média qualidade, baixa acidez e fruta escassa. A exemplo dos vinhos anteriores, o álcool está integrado e o final é secante, sem amargor. Faltou-lhe um pouco de maciez, eis que termina com leve aspereza. Avaliação: 84/100 pts.

Botalcura “El Delirio” – linha Reserva

Botalcura “El Delirio” Merlot 2010 – álcool: 13,4% – região: Vale Central (parte expressiva das uvas provém do Maule) – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 35,90 – cerca de 30% do vinho foi amadurecido durante seis meses em barrica de carvalho francês (60%) e americano (40%) de um e dois anos – Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso. Exibiu menos fruta nos aromas e no paladar do que o Merlot “Cordoniz”, porém, na boca tem mais estrutura e concentração, com álcool integrado, taninos macios e final redondo, com  possibilidade de ganhar harmonia com mais algum tempo na garrafa. Avaliação: 86/100 pts.+

Botalcura “El Delirio” – linha Reserva

Botalcura “El Delirio” Carménère (60%) e Merlot (40%) 2011 – álcool: 13,8% – região: Vale Central (parte expressiva das uvas provém do Maule) – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 35,90 – cerca de 30% do vinho foi amadurecido durante seis meses em barrica de carvalho francês (60%) e americano (40%) de um e dois anos – Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso. Aromas marcados pela madeira escondendo um pouco a fruta. Na boca a sua entrada revela um vinho de taninos macios, medianamente concentrado, realçando os toques de madeira. Álcool integrado, boa concentração de sabor e  final persistente, marcado pela Carménère. Avaliação: 86/100 pts.

Botalcura “El Delirio” – linha Reserva

Botalcura “El Delirio” Cabernet Sauvignon 2011 – álcool: 13,5% – região: Vale Central (parte expressiva das uvas provém do Maule) – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 35,90 – cerca de 30% do vinho foi amadurecido durante seis meses em barrica de carvalho francês (60%) e americano (40%) de um e dois anos – Análise organoléptica: Vermelho-rubi intenso com alguma profundidade. Aromas típicos da casta no Chile com frutas vermelhas e negras, uma pitada de licor de cassis sobre especiarias. Na boca a sua entrada revela um vinho macio, de bom equilíbrio gustativo eis que álcool, acidez, taninos e fruta estão entrelaçados harmonicamente. A exemplo dos anteriores tem boa relação preço-qualidade. Avaliação: 87/100 pts.+

Botalcura “El Delirio” – linha Reserva

Botalcura “El Delirio” Syrah (60%) e Malbec (40%) 2011 – álcool: 13,8% – região: Vale do Maule – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 35,90 – cerca de 30% do vinho foi amadurecido durante seis meses em barrica de carvalho francês (60%) e americano (40%) de um e dois anos – Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso. Fechado nos aromas com leve nota herbácea. Na boca a sua entrada revela um vinho de taninos macios, pouco  concentrado, álcool integrado e de média persistência final, sem amargor. Faltou-lhe “pegada”. Avaliação: 85-86/100 pts.

Botalcura “La Porfia” Carménère 2009 – álcool: 14,2% – região: Vale  do Maule – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 62,90 - todo vinho passa de 12 a 14 meses em barrica de carvalho carvalho francês (50%), americano (40%) e húngaro (10%), 30% novos – Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso com reflexo púrpura. Aromas de média intensidade com notas florais, balsâmicas sobre uma ponta de madeira e leve café torrado. Na boca é um vinho de taninos presentes de boa qualidade, acidez média, fruta e madeira em integração.  A exemplo dos vinhos anteriores, o álcool está contido, sem sobra e o final é suave, sem amargor. Avaliação: 87/100 pts.

Botalcura “La Porfia” Cabernet Franc 2009 – álcool: 13,5% – região: Vale do Maule – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 62,90 - todo vinho passa de 12 a 14 meses em barrica de carvalho carvalho francês (50%), americano (40%) e húngaro (10%), 30% novos - Análise organoléptica:  vermelho-rubi intenso com alguma profundidade. Aromas complexos com notas de frutas negras, especiarias e depois de algum tempo na taça, sugestões de carne e estrebaria com uma pitada de madeira tostada. Na boca a sua entrada revela um vinho estruturado, tânico (qualidade muito boa), denso, de bom equilíbrio gustativo eis que álcool, acidez, taninos e fruta estão entrelaçados harmonicamente. Um dos destaques da degustação no quesito tipicidade. Avaliação: 88/100 pts.+

Botalcura “La Porfia” Malbec 2011 – álcool: 13,7% – região: Vale do Maule – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 62,90 – todo vinho passa de 12 a 14 meses em barrica de carvalho carvalho francês (50%), americano (40%) e húngaro (10%), 30% novos, elaborado com clone francês (Bordeaux) de vinhedos plantados em 1936 (vinhas velhas) – Análise organoléptica: vermelho-rubi intenso, brilhante com alguma profundidade e reflexo púrpura. Aromas típicos com notas florais típicas da casta (violetas), frutas vermelhas e negras (destaque para ameixa) sobre  uma pitada de licor de chocolate. Na boca a sua entrada revela um vinho de taninos macios com alguma elegância e principalmente  bom equilíbrio gustativo eis que novamente álcool, acidez, taninos e fruta estão entrelaçados harmonicamente. Um vinho gostoso, que também se destacou por sua boa tipicidade. Avaliação: 88/100 pts.+

Vinhos tops da Botalcura, os dois com preços acima dos três dígitos, será que valem?

Botalcura Nebbiolo 2006 – Variedades: Nebbiolo (87%) e Carignan (13%) – álcool: 14% – região: Vale de Curicó – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 119,00 – vinho amadurecido por dezoito meses em barril de carvalho francês e  americano especialmente concebidos para a Nebbiolo, consoante informação do produtor – Análise organoléptica: vermelho-rubi brilhante de média concentração, cor típica da casta. Aromas florais com destaque para rosas e violetas sobre frutas negras com razoável sustentação na taça. Na boca a sua entrada revela um vinho tânico (qualidade acima da média), com boa dose de fruta secundada pela madeira. O sabor procura se assemelhar aos congêneres italianos, ressentido-se apenas da acidez típica da casta, o que não tem o condão de macular o conjunto de bom equilíbrio gustativo eis que álcool,  taninos e fruta estão entrelaçados harmonicamente. Enfim, um vinho que de alguma forma consegue exprimir alguns traços da Nebbiolo em solo chileno. Avaliação: 88-89/100 pts.+

Vinhos tops da Botalcura, os dois com preços acima dos três dígitos!

Botalcura “Cayao” 2006 – álcool: 14,2% – Variedades: Cabernet Sauvignon, Carménère, Malbec, Nebbiolo e Syrah – região: Vale do Maule – importador: Supermercado St. Marché – São Paulo – preço: R$ 209,00 - Vermelho-rubi intenso com alguma profundidade e halo granada em formação. Aromas complexos com frutas negras, especiarias, tabaco sobre uma nota vegetal. Boca no mesmo diapasão com taninos viris e volumosos. Acidez na medida e boa expansão no paladar. Intenso, profundo e sobretudo concentrado, este blend  tem plenas condições de continuar a evoluir na garrafa nos próximos anos. Avaliação: 89/100 pts.+

Conclusão

Vinhos de relação preço-qualidade favorável ao consumidor, dentro da melhor tradição Chile. Isto é o que os vinhos Botalcura, importados pela rede de supermercados St. Marché representam. Destaco, principalmente, as linhas Codorniz e El Delirio. Já a linha “La Porfia” com vinhos na casa dos R$ 62,90 também é viável, eis que tanto o Cabernet Franc como o Malbec exibiram boa tipicidade. Na casa dos três dígitos existem duas opções: a primeira a de um inusitado Nebbiolo (R$ 119 – preço salgado para uma variedade de pouca tradição no Chile), tinto bem feito mas que ainda se distância um pouco dos piemonteses. Para completar, um super blend “Cayao” que mistura variedades como Cabernet Sauvignon, Carménère, Malbec, Nebbiolo e Syrah, dentro do contexto da liberdade criadora que representa a produção vinícola do Novo Mundo, pois como sabemos não se acha presa às regras rígidas das DOs do Velho Mundo. Por R$ 209,00 (exatamente, duzentos e nove reais) é um vinho desafiador. Será que vale o preço? A resposta será do consumidor, mas nesta faixa o próprio supermercado importa alguns rótulos do Velho Mundo mais interessantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>